O mundo caminha para ser muçulmano, inclusive o Brasil

A Sagrada Escritura já diz que devemos provar tudo e ficar com o que é bom. O homem precisa ser livre para tomar as decisões e foi para isso que foi criado. Para a liberdade. Quando a liberdade de escolha é comprometida, acabamos escolhendo mau e nossas escolhas refletem em nossas vidas e na vida dos outros. Particularmente quando estamos a frente de um cargo, de uma classe, de um órgão público, de uma cidade, de um estado, de um país, imagine! Continuando o raciocínio, os países desenvolvidos tem feito descobertas, desenvolvido tecnologias e ideias e experimentado na prática suas experiências. Algumas muito boas. Outras, péssimas e muitas das vezes nefastas! Como por exemplo o comunismo na Rússia e na China, o genocídio de Hitler tentando criar uma raça perfeita, o narcisismo europeu e americano canalizado no controle de natalidade, etc. as prisões-modelo são boas, a legalização do aborto, por exemplo, ruim. Existe muita coisa boa para ser feita no país e acaba se mexendo onde não devia. Não estou aqui acusando o governo atual, até porque, somos uma democracia e o congresso, o senado, os eleitores, de hoje e de ontem, todos tem sua parcela de culpa. Devemos aprender com os erros dos outros; e não dar continuidade a eles. Aqui se planta e aqui se colhe. Às vezes pasmo ao ver pessoas especializadas em determinados assuntos, tomarem decisões totalmente contrárias, quando a melhor decisão, até o mais simples do povo tomaria sem titubear. No plebiscito para o desarmamento por exemplo; perguntava-se se você era a favor da liberação das armas. As pessoas diziam que não. A resposta no plebiscito devia ser sim. Sim ao desarmamento. Desta maneira, quando a pessoa votava não ela estava votando contra o desarmamento. Mas a resposta colocada, foi não! Foi uma manipulação descarada e o resultado está aí hoje nas ruas. Outra questão é a das drogas. Querem a liberação, existe toda uma pressão sobre a sociedade apontando a liberação da maconha como a solução para o problema. Porque digo isso: A liberação da maconha visa gerar divisas, e acabar com os traficantes certo? Mentira. Traficante vai deixar de ser traficante e vai ser um comerciante legal. Veja quem defende a liberação no congresso e tente descobrir quem está "por trás" deles. Liberando a maconha acaba-se com o tráfico, certo? Mentira. E o pior: A maconha não vai ser de graça. O usuário vai ter que comprar para usar, concorda comigo. Ou vão dar maconha de graça pra todo mundo o resto da vida? Pois bem. o cara vai viciar em maconha, depois não vai ter dinheiro pra comprar a maconha e vai, acabar no crack que é mais barato. E em uma escala muito maior! Já olhou por este ângulo? O mesmo acontece com o aborto. A quantidade de abortos que ocorrem todos os dias é absurda. O que realmente a liberação do aborto vai ajudar? As clínicas? Mães que interromperam a vida propositalmente carregam um sentimento de culpa terrível. Decisões como controle de natalidade em campanhas massivas encucadas nos brasileiros, liberação de armas, drogas e a intervenção do estado na família, união homossexual e campanhas afins, vão encaminhando o país para um destino irreversível. Do outro lado do mundo e também perto de nós, os muçulmanos, com uma média de 8 filhos por casal, fiéis às suas leis e costumes vão fechando o cerco e transformando o mundo à nossa volta! Aqui no Brasil, o brasileiro tem uma média de 2 filhos por casal, formado em média por 70% de casais separados, uma grande massa assumindo homossexualidade, dependentes de drogas incapazes de constituir família e uma pluralidade religiosa parecida com a Índia! Aliás, ter mais de 2 filhos no Brasil é escândalo: - Ficou maluco? Como vai educá-lo? É falta de cultura! Não tem televisão em casa? (Com tanta pornografia, a tv aberta virou afrodisíaco!). Neste vídeo publicado em 2009, pesquisadores mostraram de forma bem sutil, o fenômeno que está mudando radicalmente a Europa e a América do Norte e países que seguiram a mesma linha de pensamento que hoje está em voga no Brasil. Coincidentemente eram somente os países desenvolvidos, os mais afetados pelo fenômeno. E como disse acima, não é preciso ser um expert para se chegar à lógica. Leia na íntegra o conteúdo do vídeo:

http://www.youtube.com/embed/hLNnyKLhcKI"Para que uma cultura seja mantida por mais de 25 anos, a taxa de fertilidade deve ser de 2.11 por família. Com qualquer número menor que esse a cultura entrará em declínio. Nenhuma cultura sobreviveu a taxa de fertilidade de 1.9. Uma taxa de 1.3 é impossível de reverter. Porque são necessários 80 a 100 anos para corrigir este problema. E não há modelo econômico que sustente a cultura por este tempo. Em outras palavras, se dois casais tem um filho só, a metade de filhos que havia de pais, se estes filhos tem apenas um filho haverá apenas um quarto de pessoas, de netos do que há de avós. Se nascessem apenas um milhão de pessoas em 2006 seria muito difícil de ter 2 milhões de adultos na força de trabalho em 2026. Enquanto a população encolhe a mesma coisa acontece com a cultura. veja as taxas de natalidade nos seguintes países em 2007:

França, 1.8; Inglaterra, 1.6; Grécia, 1.3; Alemanha, 1.3;Itália, 1.2;Espanha, 1.1.

Na união europeia inteira, 31 países as taxas de fertilidade são menos de 1.38. Pesquisas históricas mostram que é impossível reverter esse número. Em poucos anos, a Europa como a conhecemos hoje, deixará de existir. Ainda assim, a população da Europa não está declinando. Porque? Imigração! Imigração islâmica! De todo crescimento da população desde 1990 tem sido por causa da imigração islâmica. Na França a taxa de natalidade é de 1.8 por família; nas famílias islâmicas, 8.1. No sul da França tradicionalmente conhecido por  ter um grande número de igrejas, agora já há mais mesquitas que igrejas. 30% dos que tem menos de 20 anos são islâmicos. Em cidades maiores como Nice Marselha ou París este número sobe a 45%. Em 2027, 1 em cada 5 franceses, será muçulmano. Em apenas 39 anos, a França será uma república muçulmana.

Nos últimos 30 anos, a população muçulmana da Inglaterra cresceu de 82 mil a 2,5 milhões. Um crescimento de 30 vezes! Há milhares de mesquitas, muitas eram igrejas. Na Holanda, 50% dos recém-nascidos é muçulmano. Em 15 anos metade da população será muçulmana. Na Rússia, há mais de 23 milhões de muçulmanos. Quer dizer 1 em cada 5. 40% do exército russo será muçulmano em poucos anos. Na Bélgica, 25% da população e 50% dos recém-nascidos é muçulmana! O governo já declarou que 1/3 dos recém-nascidos na Europa será nascido em família muçulmana em 2025. Apenas daqui a 11 anos! O governo alemão, o primeiro a falar isso publicamente, recentemente declarou: a queda da população alemã não pode mais ser detida. Sua espiral descendente não é mais reversível. Este será um estado muçulmano em 2050. Muhammad Al Gaddafi declarou: Há sinais de que Alá garantirá a vitória ao islã na Europa sem espadas, sem armas, sem conquistas. Não precisamos de terroristas ou bombas homicidas. Os mais de 50 milhões de muçulmanos na Europa a transformarão em um continente islâmico em poucas décadas. Há 52 milhões de muçulmanos na Europa! É esperado que este número dobre para 104 milhões nos próximos 14 anos. O nosso continente nos conta história semelhante: No Canadá a taxa de fertilidade é de 1.6. Bem abaixo dos 2.11 necessários para manter a cultura. E o islã é a religião que mais cresce. Entre 2001 e 2006 a população do Canadá aumentou em 1.6 milhões. Desses 1.2 foi migração. Nos Estados Unidos, a taxa de 1.6. Com o influxo de latinos subiu para 2.11, o mínimo necessário para manter uma cultura. Em 1970 havia 100 mil muçulmanos nos Estados Unidos. em 2009 haviam 9 milhões. O mundo está mudando. É tempo de acordar. em 2005 houve um encontro de 24 organizações islâmicas em Chicago. Os transcritos dos encontros mostram em detalhes os planos de evangelizar a América, através de jornalismo, política, educação em massa. Eles disseram: precisamos nos preparar para a realidade de que em 30 anos haverá 50 milhões de muçulmanos vivendo na América. O mundo em que vivemos não será o mundo em que nossas crianças viverão." Pessoas que não andam, precisam de outros para a locomoverem, pessoas que não enxergam, precisam que outras as guiem; pessoas que não pensam, precisam de outras que pensem por elas. O que acontece nos últimos anos na Europa vai, com certeza acontecer aqui no Brasil. Segundo a Revista francesa Le Monde deste mês de maio, a Europa está se transformando na Eurábia! Esse assunto é discutido por especialistas há anos, mas vejo o Brasil indiferente a este tema e vamos, cada um vivendo à sua maneira. Não dá pra prever o fim do mundo, o resultado do carnaval ou da copa. Mas se olharmos para o que acontece na Europa podemos imaginar o que nos espera!

Image: 
Video: 
The video conversion process has failed. You might want to submit a simpler video format like mpeg or divx avi.
If the problem persists contact your website administrator. Please check logs for further debugging.