Software pirata não compensa

Imagine o computador com o sistema operacional instalado, como sendo a casa nova pronta para morar, mas sem a mobília!

Cada um organiza sua casa como melhor lhe apraz. A mobília neste caso serão os softwares que você vai instalando para que o computador se adeque às suas necessidades virtuais.
O correto para o usuário de computador seria adquirir uma cópia original (não pirateada) do sistema operacional, no caso do usuário do Windows. Cada cópia original dará direito a instalação em 01 computador, sendo necessária a aquisição de licença adicional para para cada computador em que for instalar o Windows. Caso o usuário tenha adquirido um computador novo que já tenha vindo com uma cópia OEM do Windows instalado, a licença OEM já acompanha o computador. Isso é correto. As versões gratuítas do Windows que acompanham os computudadores são geralmente chamadas versões OEM.

Licenças OEM vem com as versões Starter ou Basic 7 ou Windows Pró OEM no caso do windows 8. As versões Profissional ou Ultimate do Windows 7 precisam ser compradas. Ibidem o Windows 8! É óbvio que se tivesse OEM (versão de avaliação) Profissional ou Ultimate ou outra versão completa ninguém compraria licença! Isso ocorre com toda versão "gratuíta" de um software proprietário (aquele que precisa ser comprado para se ter o direito de uso).

Trocando em miudos, todo software proprietário precisa ser pago para que não se viole a licença do mesmo e se fique sujeito às leis internacionais de proteção ao fabricante.

Há alguns anos atrás a Microsoft puniu várias empresas brasileiras por uso de software pirata. Até alguns camelôs levaram tinta. As multas tinham valores altos e desencorajadores e deixou muita gente com a barba de molho.

Nestes nossos tempos onde a permissividade se institucionalizou, poucos usuários de computador tem consciência disso e a grande maioria, ou não sabe ou não faz questão de saber.

Assim, o computador do fulano tem tudo quanto é software disponível no mercado: sistema operacional, suíte de escritório, suíte gráfica, edição de imagens, multimídia, ferramentas web, jogos e tudo mais que você imagine, mas tudo, tudo pirata! Não pagou por nada. E acha isso muito normal. E se você questioná-lo ele irá responder: "-Todo mundo faz isso. O que tem demais?".

É vantagem ou desvantagem para o usuário utilizar software pirata?

Quantas vezes apareceu na tela do seu computador uma mensagem dizendo que o seu Windows não era original? Você provavelmente chamou o técnico de sua confiança e pediu a ele que resolvesse o problema e provavelmente ele resolveu.

A maioria dos usuários não sabem, mas para validar estes softwares piratas, seja o sistema operacional Windows, O Corel Draw!, Adobe Photoshop, etc, etc...; para que se passem por originais, não expirem a licença de uso, e não sejam desmascarados quando você acessar a internet, os técnicos precisam executar programas clandestinos, provenientes de fontes não confiáveis. É logico, que na grande maioria das vezes infectam os computadores de quem os executa.

Quando você roda um software não confiável em seu computador, ele executa uma série de rotinas, você não vê, o que exatamente foi instalado alí, entende?

Assim a segurança destes computadores já está comprometida. Acesso a bancos, senhas e toda a sua privacidade pode estar comprometida!

Isso sem falar nos travamentos, perdas de dados, infecções constantes por vírus e outras pragas virtuais já que o Windows não pode ser atualizado senão a Microsoft descobre a farsa no software e aparece aquela famosa mensagem: "Você pode ter sido vítima de falsificação...".

Aos olhos da Lei, apoderar-se indevidamente de bens de terceiros caracteriza roubo e roubo é crime.

Diante de Deus, é a violação de um dos mandamentos: Não roubar!
Eu sei que você talvez preferisse não ter lido isso, porque querendo ou não, agora você já sabe e a tua consciência irá te denunciar sempre que você estiver instalando algum software pirata.

Mas não se assuste, isto não é o fim! Ao contrário, você agora pode querer experimentar o poder do software livre, expandir suas possibilidades, ser mais feliz, se frustrar menos, e não sentir nenhuma saudade do tempo em que utilizava software que não era livre. Seja bem-vindo à liberdade!
Eu utilizo software livre em servidores há mais de 12 anos e em meus computadores pessoais desde 2007. O Linux está muito bem documentado, facílimo de usar e tem um montão de vantagens sobre o Windows que vou listar em uma matéria a ser publicada posteriormente.

Tenho até pensado seriamente em montar aqui na cidade, uma escolinha de informática, exclusiva para ensinar Linux para os amigos.

Image: